Coleção de separatas sobre o primeiro e o segundo princípios da termodinâmica

R$25,00

COLEÇÃO DE SEPARATAS SOBRE O PRIMEIRO E O SEGUNDO PRINCÍPIO DA TERMODINÂMICA

Autores: Diversos (Compilação de vários artigos)
Capa comum (brochura): 42 páginas
Editora: SCB
Edição: Primeira, agosto de 1995
Idioma: Português
ISBN: sem número
Dimensões do produto: 20 x 28 cm

Os fenômenos observados na natureza caracterizam-se pela obediência a leis conservativas, como por exemplo o Primeiro Princípio da Termodinâmica, e a leis degenerativas, particularmente o Segundo Princípio da Termodinâmica.

Os fenômenos observados na natureza caracterizam-se pela obediência a leis conservativas, como por exemplo o Primeiro Princípio da Termodinâmica, e a leis degenerativas, particularmente o Segundo Princípio da Termodinâmica.

No segundo artigo desta coleção de separatas, David Penny ilustrou a natureza dessas leis com o exemplo de uma pedra sendo atirada em um lago.

A pedra, imediatamente antes de atingir o lago, tem energia que pode ser utilizada para a produção de um trabalho mecânico. Ao atingir a superfície do lago, produz ela ondas transformando esta sua energia em energia cinética associada à movimentação centrífuga dessas ondas.

Com o decorrer do tempo as ondas se amortecem e aquela energia cinética se dissipa transformando-se em calor, e aumentando correspondentemente a temperatura do lago.
Todo esse processo é regido pelo Primeiro Princípio da Termodinâmica, observando-se em suas diferentes fases a conservação da energia sob suas várias formas.

Surge então a pergunta: Por que não pode acontecer o contrário, isto é, haver uma diminuição da temperatura do lago, com a formação de ondas centrípetas dotadas da correspondente energia cinética, e com a transferência dessa energia à pedra, de forma a lançá-la de volta para fora do lago?

A experiência mostra que tal quadro não se verifica nunca! De fato, a unidirecionalidade deste fenômeno, bem como de numerosos outros, insere-se no contexto das transformações degenerativas, regidas pelo Segundo Princípio da Termodinâmica. Observam-se, assim, na natureza, sentidos preferenciais, que em síntese apontam para a impossibilidade dos processos evolutivos!

É o que esta coleção de separatas tenta destacar nos quatro artigos que a integram.

Os quatro artigos constantes desta Coleção de Separatas foram publicados em números anteriores da Folha Criacionista, conforme a discriminação seguinte:
• Uma explicação simplificada da Primeira e da Segunda Lei da Termodinâmica: A sua relação com as Escrituras e a Teoria da Evolução (Emmett L. Williams Jr.);
• As implicações das duas Leis da Termodinâmica na origem e destino do Universo (David Penny);
• Termodinâmica: Uma ferramenta para os criacionistas (Emmett L. Williams);
• Restrições às transformações inerentes aos seres vivos (D. R. Boylan).

A seleção de separatas de artigos publicados nas Folhas Criacionistas no período de 1971 a 1979 constantes desta publicação aborda particularmente a irreversibilidade de vários outros fenômenos naturais, proporcionando argumentação favorável à Criação, em conformidade com o relato bíblico.

Após 1979, data da publicação do último artigo desta coleção, outros artigos sobre o mesmo assunto foram publicados em números posteriores da Folha Criacionista/Revista Criacionista.

Em estoque

Adicionar à Lista de Desejos
Adicionar à Lista de Desejos

Descrição

Descrição

COLEÇÃO DE SEPARATAS SOBRE O PRIMEIRO E O SEGUNDO PRINCÍPIO DA TERMODINÂMICA

Autores: Diversos (Compilação de vários artigos)
Capa comum (brochura): 42 páginas
Editora: SCB
Edição: Primeira, agosto de 1995
Idioma: Português
ISBN: sem número
Dimensões do produto: 20 x 28 cm

Os fenômenos observados na natureza caracterizam-se pela obediência a leis conservativas, como por exemplo o Primeiro Princípio da Termodinâmica, e a leis degenerativas, particularmente o Segundo Princípio da Termodinâmica.

Os fenômenos observados na natureza caracterizam-se pela obediência a leis conservativas, como por exemplo o Primeiro Princípio da Termodinâmica, e a leis degenerativas, particularmente o Segundo Princípio da Termodinâmica.

No segundo artigo desta coleção de separatas, David Penny ilustrou a natureza dessas leis com o exemplo de uma pedra sendo atirada em um lago.

A pedra, imediatamente antes de atingir o lago, tem energia que pode ser utilizada para a produção de um trabalho mecânico. Ao atingir a superfície do lago, produz ela ondas transformando esta sua energia em energia cinética associada à movimentação centrífuga dessas ondas.

Com o decorrer do tempo as ondas se amortecem e aquela energia cinética se dissipa transformando-se em calor, e aumentando correspondentemente a temperatura do lago.
Todo esse processo é regido pelo Primeiro Princípio da Termodinâmica, observando-se em suas diferentes fases a conservação da energia sob suas várias formas.

Surge então a pergunta: Por que não pode acontecer o contrário, isto é, haver uma diminuição da temperatura do lago, com a formação de ondas centrípetas dotadas da correspondente energia cinética, e com a transferência dessa energia à pedra, de forma a lançá-la de volta para fora do lago?

A experiência mostra que tal quadro não se verifica nunca! De fato, a unidirecionalidade deste fenômeno, bem como de numerosos outros, insere-se no contexto das transformações degenerativas, regidas pelo Segundo Princípio da Termodinâmica. Observam-se, assim, na natureza, sentidos preferenciais, que em síntese apontam para a impossibilidade dos processos evolutivos!

É o que esta coleção de separatas tenta destacar nos quatro artigos que a integram.

Os quatro artigos constantes desta Coleção de Separatas foram publicados em números anteriores da Folha Criacionista, conforme a discriminação seguinte:
• Uma explicação simplificada da Primeira e da Segunda Lei da Termodinâmica: A sua relação com as Escrituras e a Teoria da Evolução (Emmett L. Williams Jr.);
• As implicações das duas Leis da Termodinâmica na origem e destino do Universo (David Penny);
• Termodinâmica: Uma ferramenta para os criacionistas (Emmett L. Williams);
• Restrições às transformações inerentes aos seres vivos (D. R. Boylan).

A seleção de separatas de artigos publicados nas Folhas Criacionistas no período de 1971 a 1979 constantes desta publicação aborda particularmente a irreversibilidade de vários outros fenômenos naturais, proporcionando argumentação favorável à Criação, em conformidade com o relato bíblico.

Após 1979, data da publicação do último artigo desta coleção, outros artigos sobre o mesmo assunto foram publicados em números posteriores da Folha Criacionista/Revista Criacionista.

Veja outras publicações correlatas ao assunto na COLEÇÃO ESTRUTURAS CONCEITUAIS:
• A Origem da Vida por Evolução: Um Obstáculo ao Desenvolvimento da Ciência
• A Semana da Criação – Examinando o Relato Bíblico de um Ponto de Vista Moderno
• BONECO DE BARRO ou IMAGEM DE DEUS ? -Contribuição para a Compreensão da Criação do Ser Humano na Perspectiva do Criacionismo Bíblico
• Considerações sobre Ilusões de Óptica – pareidolia e idolatria
• Cosmovisão Criacionista Bíblica
• Criação – Criacionismo Bíblico
• Criacionismo Bíblico – Súmula dos Principais Fundamentos teológicos e Científicos
• Cristianismo e Ciência
• Das Leis do CRIADOR ao CRIADOR das Leis – Revelação Bíblica sobre as Origens
• Em Busca das Origens – Evolução ou Criação ?
• Em Seis Dias – Por que 50 Cientistas Decidiram Aceitar a Criação
• Estética na Natureza
• Estudos em Ciência e Religião
• Introdução ao Criacionismo – A Bíblia e a Ciência
• O Engano do Evolucionismo